[REPOST] Conhecendo os Arcanos Maiores do Tarot… com Kpop

Pristin – Wee Woo

[Texto originalmente publicado no Headcanons]

Como explicar essa combinação?

Pois é, nem eu sei.

Só sei que há muito tempo eu tento juntar dois dos meus assuntos favoritos, e finalmente encontrei uma maneira. Os MVs de Kpop, que a cada ano ficam mais impressionantes, fornecem material suficiente para representar os arquétipos dos 22 arcanos maiores do Tarot de forma desafiadora e cheia de nuances. Portanto, aqui estou eu com esse humilde guia que funciona de introdução ao Tarot, ao Kpop, ou aos dois 🙂

O que raios são os 22 arcanos maiores do Tarot?

Para quem não conhece, o Tarot é um jogo de cartas que surgiu na Europa entre os séculos XV e XVI. Com inúmeras variações, foi inicialmente utilizado como jogo de cartas comum e depois como instrumento de divinação. Embora esse último ainda seja seu uso mais conhecido, não é o único. Hoje em dia, a tradição do Tarot evoluiu e tem encontrado muita exposição como ferramenta para o autoconhecimento, meditação e inspiração criativa, desmistificando sua aura e tornando-o acessível até para os mais céticos, mas não menos sério.

O Tarot é composto por 22 arcanos maiores que representam arquétipos e conceitos gerais da vida humana, e 56 arcanos menores, representando situações cotidianas e mais específicas. Os arcanos menores estão divididos em quatro naipes, como o baralho comum – Espadas, Copas, Ouros e Paus – e cada naipe possui um ás, os números de 1 a 10, e quatro figuras da corte medieval (valete, cavaleiro, rainha e rei). Não é tão difícil, né?

Como esse post é uma introdução, decidir analisar os arcanos maiores, já que são as figuras mais famosas quando pensamos em Tarot e seus conceitos, apesar de abrangentes, são fáceis de relacionar com diversos aspectos das nossas vidas. O Tarot que eu vou utilizar é o Rider-Waite-Smith, um dos baralhos mais conhecidos e geralmente recomendado como ideal para iniciantes. Não vou me aprofundar muito na simbologia de cada carta, infelizmente, porque cada uma daria um post se o fizesse.

Antes de começar, uma nota importante: não precisa ter medo ou superstição com o Tarot. Não acredito que o futuro esteja escrito em lugar nenhum, nós estamos constantemente criando e recriando nossos caminhos, e o Tarot serve como instrumento para entendermos melhor nossas escolhas e sentimentos. Cada um com suas crenças, mas se você nunca se aventurou nesse mundo por medo, tá aqui a chance de recomeçar. Os arcanos maiores representam uma jornada em busca do crescimento pessoal, portanto, vamos mergulhar 🙂

 

0 – O Louco | Girls’ Generation – Into the New World

A tradução para o português não ajuda muito na interpretação dessa carta, já que na minha opinião um nome mais correto seria “O Ingênuo”. O Louco é a personificação daquele ditado “não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. Muitas vezes, a ignorância é uma bênção, e arriscar um passo que parece loucura pode ser justamente o que faltava para uma transformação em nossas vidas.

Representando essa carta, escolhi o debut mais famoso do Kpop. “Into the New World” vendeu 10,000 cópias só no primeiro mês de lançamento, e marcou o início da trajetória de um dos principais grupos da Coreia do Sul. As meninas do Girls’ Generation, todas com idades entre 17 e 18 anos na época, certamente se sentiram como O Louco à beira do precipício – dando um salto cujo resultado ninguém podia imaginar, ao invés de seguir o caminho usual dos jovens de sua idade.

A música, embora fale sobre um romance, é baseada na ideia de “entrar em um novo mundo”, afinal, iniciar um relacionamento nada mais é do que um pulo no desconhecido do outro. O MV, por sua vez, reafirma a energia dessa carta começando com as frases: “Entre em um novo mundo… Ou não. A escolha é sua”. Prontos para saltar?

 

I – O Mago | Seo Taiji & Boys – I Know

Ao contrário do que pode parecer, O Mago não representa alguém com poderes especiais, mas sim alguém que sabe utilizar os poderes à sua disposição, assim criando situações especiais. Na carta, vemos os símbolos dos quatro naipes do Tarot sobre sua mesa, cada um representando um dos quatro elementos naturais: água, terra, ar e fogo. O gesto do Mago representa ação: ele canaliza a energia do universo e a aplica a seus propósitos, transformando tudo que toca como se fosse mágica.

“I Know” foi lançada em 1992 e fez tanto sucesso que até hoje é apontada como a música que mudou o Kpop para sempre. Ficando no topo das paradas por 17 semanas (recorde quebrado somente 15 anos depois, com “Lies” do Big Bang), a influência do hip hop americano não só na música, mas também nos figurinos e no uso do inglês, principalmente nesse live, são as razões pelas quais Seo Taiji & Boys são lembrados como lendas. Eles foram os primeiros a desafiar o governo altamente restritivo em que viviam nos anos 90, e o público sedento por inovação abraçou as mudanças como nunca.

Pode-se dizer que Seo Taiji & Boys utilizaram-se do que tinham em mãos para realizar seus sonhos, enfrentaram obstáculos e seguiram em frente, mudando para sempre todo o cenário pop coreano, como verdadeiros magos.

 

II – A Sacerdotisa | Oh My Girl – Closer

Em contraponto com o Mago, que representa a ação, o consciente e o mundo externo, A Sacerdotisa é a carta da intuição, da energia passiva (no sentido de recebimento) e do inconsciente. Essas duas cartas funcionam como os símbolos yin e yang. Se O Mago possui todos os elementos para transformar sua realidade externa, A Sacerdotisa possui o conhecimento para acessar nossa infinita sabedoria interna.

Nesse MV de tirar o fôlego, o grupo Oh My Girl aproveita a sonoridade misteriosa da música com uma narrativa que fala justamente sobre encontrar-se com você mesmo. Em imagens que remetem à série As brumas de Avalon (que, por sua vez, também pode ser perfeitamente representada pela Sacerdotisa), vemos YooA em uma viagem ao seu passado e à sua inocência, representados pela mais nova do grupo, Arin, dormindo dentro de um carro.

Apesar de não poder voltar no tempo, YooA reconhece que, como no voice over ao acordar Arin, seu passado não vai abandoná-la (“I won’t leave you, I promise”), e ela aceita guardar os ensinamentos dessa época com toda a sua sabedoria interior. Para completar, a coreografia das meninas vista de cima revela a forma de vários signos do zodíaco, adicionando mais uma camada para mergulharmos no infinito e misterioso conhecimento da Sacerdotisa.

 

III – A Sacerdotisa | Oh My Girl – Closer

A Imperatriz é uma carta de ligação com a natureza e com o ciclo de fecundar, dar à luz e criar que todos nós, não só mães, vivenciamos. Esse processo pode ser visto em qualquer relação, desde um trabalho como escrever esse post, até o surgimento de um novo relacionamento, ou o preparo de uma refeição, por exemplo. É uma carta que representa o arquétipo materno, e não à toa A Imperatriz está em meio à “mãe natureza”.

Representando esse conceito, o debut solo da Taeyeon me vem em mente primeiro por seus cenários naturais incríveis: algo raro de se ver no Kpop, famoso por cenários box totalmente digitais. Nesse MV gravado na Nova Zelândia, acompanhamos a trajetória de Taeyeon abandonando um emprego frustrante como garçonete para se conectar com um “eu” mais verdadeiro – representado pela borboleta que ela decide seguir. O resultado dessa busca, com as duas versões de Taeyeon se encontrando na praia, sugere uma união de todas as facetas que possuímos dentro de nós. A Taeyeon em conexão com a natureza e seu eu interior e a Taeyeon cantora pop são parte de uma mesma energia muito maior, como a da Imperatriz.

Taeyeon é também líder do Girl’s Generation (que mencionei ali em cima, na carta O Louco) e uma das mais influentes solistas da Coreia atualmente. A história desse MV poderia muito bem ser um insight em como ela se sentiria caso não tivesse saltado com O Louco há dez anos atrás. A história confirma a busca de Taeyeon em realizar e seguir seus sonhos, e o reconhecimento de que, mesmo com as dificuldades, ela está onde nasceu para estar. Como uma Imperatriz faria, orgulhosa de seu trono e dos #1 nos charts, Taeyeon reconhece na letra: “Minha vida é linda”.

 

IV – O Imperador | XIA Junsu – Flower

O Imperador é uma carta bastante direta, representando um dos mais enraizados arquétipos masculinos: o de senhor do mundo. É também o lado yang da Imperatriz: se sua versão feminina representa o mundo natural e a maternidade, O Imperador representa conquistas, intelectualidade, experiência e a figura paterna.

XIA Junsu representa tudo isso: ele debutou com o TVXQ, um dos maiores boy groups coreanos, porém em 2009 processou sua gravadora, a SM Entertainment, juntamente com dois outros membros, Jaejoong e Yoochun. Juntos, eles formaram o JYJ e promoveram majoritariamente no Japão, já que a SM Entertainment os baniu das famosas broadcasts coreanas. Mesmo com essas restrições, o JYJ continuou fazendo um sucesso comparável ao do TVXQ, e as carreiras solo dos três membros seguiram o mesmo caminho. Hoje, com 15 anos de carreira como cantor e ator, inúmeros prêmios e um quarto lugar entre as estrelas coreanas mais ricas, Junsu pode facilmente ser considerado um Imperador no Kpop.

Para completar, “Flower” é um dos MVs mais complexos, bem produzidos e simplesmente incríveis de todos os tempos. Nele, Junsu é literalmente um Imperador que perde toda sua humanidade na sede pelo poder, chegando ao ponto de beber a cabeça de seus inimigos derretida no cafézinho da tarde, entre outros absurdos. Vale a reflexão sobre o quanto nossas ambições nos tomam, e se ser dono do mundo realmente nos garantiria a felicidade.

Também tenho quase certeza que Junsu, se não é praticante, no mínimo simpatiza com o Tarot. Por exemplo, o leão dourado que aparece em “Flower” é incrivelmente similar ao leão da carta XI – A Força, e seu último single, Rock the World, tem um MV com as cartas na narrativa. Enquanto eu não faço um post só sobre o Junsu e suas ligações com o Tarot, espero que esse single tenha servido para expressar a energia desta carta.

 

V – O Hierofante | Uhm Jung Hwa – Watch Me Move

A versão masculina d’A Sacerdotisa, O Hierofante é a também a representação do Papa da religião católica. Além de ser uma importante figura religiosa, ele tinha extrema importância política e militar na época em que o Tarot foi criado. O Papa representava a ponte entre Deus e a humanidade, sendo o mestre dos fiéis nos mistérios da religião. Hoje em dia, O Hierofante diz respeito à regras, instituições, um caminho mais convencional e também pode representar a presença ou necessidade de um mentor em nossas vidas.

Uhm Jung Hwa, por sua vez, tem 47 anos e metade deles dedicados a construir sua sólida carreira de cantora e atriz. Presente desde os primórdios do Kpop, muitas celebridades a citam como inspiração e, honestamente, quem pode discordar? Em “Watch Me Move”, um de seus dois singles lançados no final do ano passado, vemos uma mulher que desafia o tempo e os limites que a sociedade e o cenário pop tentam impor às mulheres (assim como eu menciono no meu post sobre as Brown Eyed Girls).

O MV começa com uma frase escrita em uma porta de vidro: “Os olhos de uma era / Beleza como pecado / Aprisiona por medo”. O uso da palavra pecado, principalmente associada à beleza, imediatamente remete à igreja católica e seus dogmas. Em vestimentas reminiscentes de Lady Gaga com um pouco de Cher (duas mulheres que também quebraram regras em suas trajetórias), Uhm Jung Hwa nos faz refletir sobre seu papel como mentora de tantas outras celebridades e, ao mesmo tempo, como artista que inova essas mesmas tradições e renova o que antes era uma limitação.

“Watch Me Move”, ou “Olhe como eu me movo” em português, é literalmente um apelo para olharmos a mulher que se apresenta e que se recusa a aceitar beleza como um pecado, idade como um limite, e medo como desculpa para a covardia. Tudo isso enquanto continua sendo uma mestra em seu ofício, e inspiração para gerações futuras. O Papa é pop, e o pop, como vocês sabem, não poupa ninguém.

 

VI – Os Enamorados | GaIn – Paradise Lost

Uma das cartas mais famosas do Tarot, Os Enamorados pode significar o relacionamento amoroso que muitas pessoas desejam. Mas também é uma carta sobre escolhas morais e como manter equilibrada nossa bússola interior quando decisões difíceis se apresentam em nossas vidas. Não é a toa que as figuras retratadas representam Adão e Eva.

Em “Paradise Lost”, GaIn explora esse mito sob uma ótica inovadora e que curiosamente tem muito a ver com o Tarot. Interpretando Eva (ou Hawwah, em hebraico), ela mostra a expulsão do Jardim do Éden como uma escolha, e não uma consequência.

Essa escolha posiciona Eva como agente de sua vida, e recusa sua identificação como apenas uma sedutora/serpente de um pobre homem que caiu em tentação. Ela também questiona a definição de pecado ao aceitar e expressar sua sexualidade, refletida nos movimentos sensuais da coreografia, no próprio clima da música, e em cenas repletas de insinuações. O dilema da escolha moral apresentada nesse Arcano está perfeitamente expresso aqui. Como diz o usuário Daniel Donghun Kim nos comentários do YouTube: “Ela perde o Éden, mas ganha um outro Paraíso”, dessa vez por escolha própria.

 

VII – O Carro | Infinite – The Chaser

O Carro é uma carta sobre “pegar no volante” e dirigir sua própria vida. Determinação, objetividade e até uma certa obsessão são aspectos que fazem parte desse arquétipo. Em um jogo de Tarot, por exemplo, essa carta pode significar que, para atingir seus objetivos, você terá que se manter focado e disciplinado. O Carro também nos leva a refletir se não queremos tudo sempre à nossa maneira, como aquele motorista que desrespeita as regras de trânsito sem qualquer cerimônia.

“The Chaser”, ou “O Perseguidor” em português, parece ter sido feita sob medida para esse Arcano. O MV é daqueles que você precisa prestar atenção para compreender a narrativa, pois as cenas à primeira vista são bastante aleatórias. Vemos Sunggyu abandonar uma chave e Myungsoo, com a mesma chave, capotando seu carro. Vemos Dongwoo e Sungyeol em motos numa estrada escura, e Dongwoo agressivamente quebrando lâmpadas que serviriam para iluminar seu caminho. Hoya escala um prédio e chega em uma sala triangular cheia de espelhos, o background das cenas de danças do grupo. Woohyun aparece muito brevemente segurando a mesma chave do início da trama e, por fim, Sungjong se encontra diante de uma caixa, o objeto ao qual a chave pertence. Por alguma razão, ele não a abre, e nos perguntamos se toda a perseguição foi em vão.

A letra de “The Chaser” fala sobre um homem que busca reatar com sua namorada a qualquer custo. Felizmente, a ausência de qualquer outra figura humana além dos integrantes no MV abre a interpretação sobre o que é que eles estão perseguindo. A caixa pode ser uma metáfora para qualquer objetivo, e os membros, cada um em seu cenário, representam diferentes estágios dessa busca. Sunggyu desiste, Myungsoo se perde em sua obsessão e capota infinitamente, Dongwoo e Sungyeol ficam agressivos, Hoya e Woohyun representam a confusão logo antes de atingirem seu objetivo, e Sungjong representa a escolha final. Abrindo ou não a caixa, fica a reflexão sobre os caminhos que escolhemos, e como os percorremos.

 

VIII – Força | BTS – Dope

Nessa carta vemos uma mulher dominando um leão – a representação da força interior, aquela que não depende de músculos, mas sim de sabedoria. Tranquilamente, como se o animal fosse seu bichinho de estimação, ela o acaricia e os dois trocam um olhar de compaixão. A Força diz muito sobre dominar nossos impulsos naturais (o leão) com compaixão e sabedoria, e dessa forma vencer quaisquer obstáculos.

BTS, ou BangTan Sonyeondan, é um grupo que vem ganhando notória atenção internacional, principalmente no Brasil. Esse sucesso claramente não é à toa. Vindos de uma gravadora quase desconhecida, eles debutaram sem muitas vantagens ou dinheiro, e pavimentaram seu caminho até o topo com muito cuidado e força interior.

Foi difícil escolher um single só, já que o tema principal na obra do BTS parece ser essa força interior indispensável para se realizar um sonho. Escolhi “Dope”, um single despretensioso que parece oferecer apenas entretenimento fácil, porém, tudo muda ao analisarmos a letra. Nela, entramos em contato com a verdadeira força do grupo: “Eu trabalho toda a noite, todos os dias / Enquanto você está na balada” e “Nossa juventude pode apodrecer dentro de nosso estúdio / Mas graças à isso estamos correndo em direção ao sucesso” são algumas das frases que refletem a mentalidade que alçou o BTS do nada para o topo do mundo.

Essa não é uma das músicas mais vulneráveis do BTS, é até um tanto convencida (“Acho que eu sou um pouco incrível”, diz o refrão), curiosamente uma característica na maioria dos seus singles. Mas essa faceta muda ao ouvir outras faixas menos conhecidas, como Tomorrow, que fala abertamente sobre as dificuldades de ser um jovem com sonhos e decepções, e da importância de se vivenciar o arquétipo da Força como meio de sobrevivência.

 

IX – O Eremita | BoA – The Shadow

O Eremita é outra carta que é bastante direta em sua representação. O homem solitário que abandona a civilização em busca da sabedoria (representada pela barba branca) e que, ao encontrá-la, divide seus ensinamentos e ilumina o caminho de quem o encontra. É uma carta de bastante introspecção, de rever valores internos, e de uma busca por um eu verdadeiramente autêntico.

BoA possui uma história que reflete esse processo: ela virou trainee da SM Entertainment aos 11 anos, debutou como cantora solo aos 13, e aos 16 se mudou sozinha para o Japão, onde construiu uma carreira incomparável. Essa conquista, porém, não veio sem um preço: nesse vídeo, BoA se emociona ao lembrar de como foi difícil se mudar ainda adolescente, e como a pressão de ser ela mesma era por vezes insuportável.

Em “The Shadow”, vemos BoA acima das nuvens, na mesma desolação do Eremita. Como o título (“A Sombra”, em português) já insinua, a música e o MV falam sobre o conceito de sombra. Na psicologia junguiana, a Sombra é nosso darkside, nossos medos, repressões, o lado que aprendemos a esconder da sociedade. Nesse single, BoA não só fala sobre integrar-se com suas sombras (o que é literalmente mostrado através do MV), como ela também reconhece a importância delas em sua vida.

Como O Eremita, BoA sabe que quando escolheu trilhar a solidão de uma carreira solo em outro país, distante de de família e amigos e ausente de todas as experiências comuns que um adolescente costuma ter, escolheu também se tornar a Rainha do Kpop, como é conhecida. Os obstáculos que venceu são essenciais para sua persona. Precisamente, a frase que ela diz mais odiar (“Porque você é a BoA”) é a frase que a permite brilhar.

 

X – A Roda da Fortuna | f(x) – 4 Walls

A Roda da Fortuna é uma das cartas mais simbólicas do Tarot. Seus detalhes revelam representações de signos do zodíaco, elementos da Alquimia, o nome de Deus em hebraico, entre outras. Sua mensagem principal é a de que a vida acontece em ciclos, o que está embaixo pode ficar em cima em um piscar de olhos, e vice-versa. Ela também nos leva a refletir sobre o quanto podemos agir sobre isso: esperamos a vida decidir por nós, ou enfrentamos os ciclos em busca de nossos objetivos?

f(x) é um grupo considerado “alternativo” na cena do Kpop. Suas músicas experimentais, estética indie (com a presença da única tomboy do Kpop até hoje, a Amber) e ausência de promoções regulares mostram uma estratégia da gravadora em atingir outros públicos. Era formado por cinco meninas, mas uma delas deixou o grupo em 2015 e, de repente, o f(x) precisou se reinventar, como a Roda da Fortuna nos lembra.

“4 Walls” foi o comeback seguinte à saída de Sulli, fazendo uma alusão bastante direta ao fato de que agora o f(x) é um quarteto. O MV nos mostra uma narrativa “efeito borboleta”, na qual as integrantes percorrem dimensões paralelas e viajam no tempo para impedir um acidente que mudaria suas vidas. Mais uma vez vemos a mensagem da Roda da Fortuna, onde a única certeza é a mudança, e a única saída é manter-se em movimento.

 

XI – A Justiça | B.A.P. – One Shot

A Justiça é outra carta cujo significado é bastante direto, representando tudo relacionado a ela, como leis, igualdade e equilíbrio. Essa carta nos convida também a tomar decisões e a refletir sobre elas, sabendo que colhemos o que plantamos.

B.A.P. é um grupo que, coincidentemente, sofreu bastante nos tribunais coreanos – em 2014, no auge do seu sucesso, eles processaram sua gravadora por um contrato abusivo e desonestidade nos pagamentos. O processo durou meses, o grupo ficou estagnado quando deveria estar celebrando e, no final, retornaram à mesma gravadora aparentemente sem maiores mudanças.

Nesse single, antes do processo, o grupo encena uma narrativa onde são gângsters e têm um de seus membros sequestrado. Depois de fazerem de tudo para recuperar YoungJae, o membro sequestrado, o resto do grupo finalmente encontra os sequestradores e se inicia aí uma das cenas mais violentas do Kpop. Assistimos lentamente todos os membros do B.A.P. sendo atingidos e morrendo. Porém, esse é apenas um final da história. Logo em seguida vemos o final alternativo, no qual YoungJae era, na verdade, um policial e com essa armadilha entrega os dois grupos criminosos para a polícia. Essa história nos leva a refletir sobre a energia da Justiça, sobre o que é certo e errado para nós mesmos e, principalmente, sobre como nossas decisões se refletem em nossa vida por longos e inesperados caminhos.

 

XII – O Enforcado | Brown Eyed Girls – Sixth Sense

O Enforcado é outra carta cuja tradução em português não ajuda na compreensão. Em alguns baralhos, é chamado de O Pendurado, o que faz muito mais sentido. O homem nessa carta de forma alguma está enforcado, apesar de representar a sensação de estar preso. Porém, como podemos ver pela imagem, esse período é, muitas vezes, voluntário e necessário, pois estar de cabeça para baixo permite um novo olhar sobre a vida, a aceitação de desafios para um bem maior, e um convite à mudança.

Em “Sixth Sense”, as Brown Eyed Girls são líderes de uma revolução que as aprisiona de diferentes formas: com algemas, correntes, jaulas e câmeras. Os paralelos que podemos traçar entre esses cenários e a realidade são inúmeros, desde a repressão de um governo até a prisão de nossas mentes. No caso delas, há também a prisão de serem mulheres acima de 30 anos em uma indústria famosa por glorificar a juventude, e de serem celebridades cujas vidas são seguidas de perto em todos os momentos.

Buscando se libertar dessas condições, a rebelião acontece, mesmo que sem muito resultado. O arquétipo do Enforcado está presente nesses momentos, lembrando que todo resultado advém de um processo de contemplação, aceitação, e luta.

 

XIII – A Morte | G-Dragon – Coup D’Etat

Provavelmente a carta mais temida do Tarot para os leigos, por conta de seu nome e imagem um tanto assustadora, A Morte carrega uma reputação que não diz respeito à sua real mensagem. Ela, na verdade, fala sobre um outro tipo de morte: a transformação. Em essência, é uma carta que reconhece que o novo só vem após a destruição do antigo, e que essa transformação traz mudanças positivas.

Um exemplo desse processo é o single “Coup D’Etat”, do G-Dragon. Um dos cantores mais famosos da música mundial, ele escreve, compõe e produz inúmeros hits tanto solo quanto com seu grupo, Big Bang, além de ser reconhecido como ícone de estilo. Uma estrela completa.

Em “Coup D’Etat”, presenciamos o processo de morte e renascimento de G-Dragon. Cercado por pessoas que não o veem realmente, vendendo ingressos para seu show de dentro de uma cabine fosca, com fãs que rondam como urubus em volta, ele expressa a frustração de não poder existir como Kwon Jiyong, seu nome de batismo, ao mesmo tempo. O público só conhece uma de suas dimensões, e mesmo assim ele é obrigado a viver sob escrutínio, como as máscaras que choram lágrimas negras (as máscaras, referentes ao seu álbum Heartbreaker, de 2009, fazem também uma alusão ao escândalo que G-Dragon encarou na época).

Porém, esse é seu golpe de estado, como já diz o título, e assim G-Dragon começa sua transformação. Ele quebra as máscaras brancas, e encara de frente sua estátua destruida e desolada. A torre com um pêndulo explode, como a bomba-relógio que indicava ser, e o humanóide do início do MV, reconhecível como G-Dragon apenas pelas tatuagens, quebra os muros que o separam do mundo real e arranca sua antiga pele.

O artista ressurge. A persona é a mesma, mas sua paixão em buscar seus sonhos e transformar sua visão em realidade foi renovada, como representa o ninja vermelho do final do MV. G-Dragon, após o escândalo que quase abalou sua carreira, precisou incorporar o arquétipo da Morte e se transformar para ser uma versão mais real de si mesmo – uma narrativa vista em outros MVs por aqui, mas que aparece ainda mais claramente nesse caso.

 

XIV – A Temperança | IU – Twenty-Three

A Temperança nos lembra sobre a importância do equilíbrio em nossas vidas. A arte de equilibrar água e terra, emoção e razão, consciente e subconsciente – tudo isso pode ser visto ao redor do anjo (uma figura dita hermafrodita, representando também um equilíbrio entre os sexos) representado nesta carta.

IU é uma artista que incorpora bastante esse arquétipo. Como a BoA (que analisei na carta O Eremita), ela debutou ainda adolescente e cresceu sob os holofotes com a imagem de “namoradinha da nação”. Porém, quando escândalos sobre suas atitudes e sua vida amorosa surgiram, a opinião do público mudou drasticamente e ela foi acusada de se aproveitar da sua imagem inocente quando era, na verdade, uma raposa.

Em “Twenty Three”, IU mostra como essa dualidade de imagens é algo inerente ao ser humano, e que todos os que tanto a julgam, são também hipócritas. O MV, recheado de imagens de duplo sentido, é enriquecido pela letra que fala sobre essas diferentes facetas: “Fingir ser uma raposa, que finge ser um urso, que finge ser uma raposa, que finge algum outro totalmente diferente”, diz o refrão.

Alguém que já não tenha internalizado e trabalhado com essa dualidade dentro de si não conseguiria lançar um single como esse, nem aguentar todo o ódio gratuito e ainda assim continuar no topo dos charts, como ela faz. É aí que vemos brilhar a energia da Temperança, através da claridade e leveza com que IU trabalha sua carreira.

 

XV – O Diabo | VIXX – Chained Up

Outra carta um tanto assustadora à primeira vista, O Diabo também sofre com preconceitos devido a tudo que sua figura representa na religião católica. Porém, no Tarot, seu significado tem mais a ver com nossos vícios, medos e impulsos mais crus. O Diabo é uma carta que fala sobre estarmos como Adão e Eva nessa figura: acorrentados, porém por vontade própria (as correntes são largas o suficiente para passar por suas cabeças). E, como dá para imaginar, é também uma carta com bastante teor sexual, principalmente ligada a práticas de BDSM.

VIXX, por sua vez, é um boygroup famoso por explorar conceitos sombrios: eles já interpretaram bonecos de vudu, vampiros e Jekyll e Hyde, só para citar alguns exemplos. E, como esses conceitos, suas letras abordam temas intensos como obsessão amorosa e sanidade mental.

Em “Chained Up”, seu single de 2015, a representação da carta O Diabo já começa no título (“Acorrentado”, em português). Na letra, vemos os contornos de um relacionamento obsessivo em que uma das partes, apesar de sofrer, não quer a liberdade. O MV, completando o conceito, retrata cada um dos membros em uma prisão diferente. O toque final está no fato das prisões serem facilmente escapáveis, assim como as correntes nos pescoços de Adão e Eva na carta.

Como se não estivesse claro o bastante, o main point da coreografia envolve a gargantilha que todos estão usando. Eles poderiam estar presos pelas mãos, porém, em que cenário usar uma coleira faz mais sentido? Se você pensou em alguma prática sexual, está aí a resposta. Com essa informação, fica mais fácil compreender por que que o eu lírico não deseja se libertar dessa obsessão, e porque que a energia do Diabo está tão perfeitamente representada nesse single, em todos os seus aspectos.

 

XVI – A Torre | T.O.P – Doom Dada

No baralho Rider-Waite-Smith, A Torre tem uma representação intimidadora. Um raio, pessoas caindo, fogo – o cenário perfeito de um filme do Michael Bay. Não deixando a imagem obscurecer seu significado, A Torre fala muito mais sobre ter um momento de revelação que muda sua vida. É uma chamada para notar quais estruturas já não servem, e assim mudar e crescer.

T.O.P faz parte do grupo BigBang, assim como G-Dragon (que analisei na carta A Morte), e é praticamente tão famoso e influente quanto. Ele também é conhecido por ser um admirador e colecionador de arte moderna e, nessa entrevista (em inglês), conseguimos entender um pouco do que está por trás do single que escolhi analisar, “Doom Dada”.

Ao responder a pergunta “Por que você estuda Arte?”, T.O.P diz “Eu preciso ser Arte. Eu preciso entender completamente as tendências para saber o quê que faz as pessoas tão fanáticas. Música, meu trabalho principal, é uma outra maneira de expressar o que faz as pessoas enlouquecerem”. Em “Doom Dada”, uma música hipnótica acompanhada de um MV repleto de referências a filmes e artistas cult, entendemos como a visão artística de T.O.P é essencial em sua carreira e como ela reflete em sua obra.

Outra pergunta da entrevista é justamente sobre esse single. Nas palavras do próprio artista: “Doom é uma gíria que significa ruína ou morte, e Dada significa Dadaísmo. A música satiriza o fenômeno onde pessoas acreditam cegamente nas mídias de massa.” Com essa sátira, T.O.P representa muito bem o arquétipo da Torre, propondo uma revelação que balança e destrói o mundo de seu público (assim como o movimento Dadaísta propunha o absurdo e a desconstrução em suas obras), mas com o propósito de abrir novos caminhos e ideias.

Nota: Escrevi esse texto em maio, antes do recente escândalo envolvendo o T.O.P vir à tona. Quanta coincidência ele estar passando por um momento “A Torre” em sua vida pessoal também. Foi constatado que o artista fumou maconha (droga ilegal na Coreia) antes de se alistar no exército, e em decorrência disso ele foi expulso de sua divisão e sofreu uma overdose de remédios. Felizmente, T.O.P agora passa bem. Resta torcer para que ele se inspire na energia da próxima carta.

 

XVII – A Estrela | EXO – Lucky One

Passadas as sombras da Torre, A Estrela é uma carta de esperança e fé. Ela geralmente representa estar pronto para entrar em uma nova fase de abundância e riqueza, como a natureza em volta dessa carta, e a mulher nua denota confiança e conforto em sua própria pele, reflexos de uma autoestima renovada.

Falando em corpos celestes, EXO é um boygroup que surgiu com o conceito de terem vindo de um exoplaneta e possuírem poderes especiais. Embora esse conceito não seja usado em todos os seus lançamentos, quando o é, sempre possibilita interpretações interessantes. É também um grupo que sofreu com a saída de 3 membros e um dating scandal em pouco mais de um ano, o que abalou bastante suas estruturas (lembrou de alguma carta?).

Felizmente, a recuperação foi rápida e 2016 foi um dos anos mais prolíferos para o grupo. “Lucky One”, lançada em junho do ano passado, passa uma energia esperançosa tanto na letra, quanto na melodia. O MV, porém, nos mostra um EXO plastificado e inexpressivo dentro de um hospital. À medida que a música se desenvolve, os membros vão um a um se libertando e utilizando seus poderes, chegando até a provocar algumas risadas (Kai e seu break de dança no meio da fuga que o digam). No final do MV, vemos um labirinto com três pontos em seu interior (uma alusão aos três membros que debandaram) e nove fora, e compreendemos que o grupo escapou, pronto para uma nova fase em sua vida. Há quem diga que a narrativa desse MV representa o início do EXO como seres capturados e testados em laboratório, e que quando descobriram seus poderes, fugiram para a Terra. Qualquer que seja a real história, é inegável a presença da energia da Estrela, sempre pronta para um recomeço.

 

XVIII – A Lua | Rainbow – Black Swan

A Lua, por sua vez, diz respeito ao subconsciente e o lado misterioso de nossas mentes. Quando entramos em um processo de autoconhecimento, não é incomum acessarmos áreas difíceis que antes ficavam encobertas em nossas vidas. A Lua fala justamente sobre como ainda somos crianças diante de certos pesadelos. Porém, a mensagem é positiva: trazer do subconsciente para o consciente, como a lagosta que sai do fundo do mar para a terra, é um processo necessário, e que só pode trazer benefícios.

Para descrever esse encontro com nossos pesadelos, “Black Swan”, do girlgroup Rainbow, se encaixa perfeitamente. Baseado no thriller psicológico Cisne Negro, de 2011, o single captura a atmosfera de paranoia e loucura através de uma melodia hipnótica e um MV que retrata cada uma das integrantes vivenciando seu próprio terror, seja em quartos espelhados, florestas desoladas ou paredes pingando tinta. A loucura pela qual Nina, personagem principal do filme de 2011, passa em busca da interpretação perfeita de ambos os cisnes, o branco e o negro, é vista também na paleta de cores do MV, e em referências como os espelhos quebrados, as interferências que lembram automutilações, e a impactante frase final, repetida aqui por Woori: “Está perfeito”.

“Black Swan” fala sobre atravessar a noite e seus contornos duvidosos. Assim como na carta A Lua, a noite passa, e logo O Sol chegará.

 

XIX – O Sol | 2NE1 – I Am The Best

O Sol é uma das cartas mais apreciadas no Tarot. Depois dos pesadelos da Lua, ela vem para simbolizar luz, otimismo e vitalidade. É o momento de aproveitar o que se conquistou, deixar as preocupações de lado, e se sentir livre como o menininho em seu cavalo branco.

Manifestando toda essa energia solar, 2NE1 era um dos girlgroups mais aclamados do Kpop até seu disband, no final do ano passado. Famosas por popularizarem o conceito “girl crush”, elas lançaram diversos singles em que exaltam sua autoconfiança e afirmam serem tão boas que não só os homens, mas também as mulheres, as admiram.

“I Am The Best” é talvez o exemplo mais direto desse conceito, e resume muito bem a essência do que foi o 2NE1. Um clássico daqueles que até quem não conhece Kpop já ouviu em algum lugar, o refrão grudento não sai da sua cabeça jamais e, aliado com o MV futurista e sua coreografia tão esquisita quanto icônica, formam uma das melhores experiências que o Kpop nos proporcionou até hoje. “Eu sou a melhor”, como diz o título em português, reflete muito bem o arquétipo do Sol, e se permite brilhar sem desculpas ou limitações. E pelo menos durante 3 minutos e 35 segundos, você vai mesmo acreditar que elas são o centro do sistema solar.

 

XX – O Julgamento | NCT U – The 7th Sense

A penúltima carta dos Arcanos Maiores, olhando só para a imagem, pode levar à interpretações confusas. Mais uma vez, as referências à religião católica são evidentes, mas seu significado nos leva a reflexões sobre um outro tipo de Julgamento. É uma carta de reavaliação sobre a fase em que você se encontra e, mais importante, de se libertar do que não serve mais. É uma carta de perdão para você mesmo, e uma permissão para vivenciar novas experiências.

O NCT é um grupo formado pela SM Entertainment com um número variável de integrantes e diversas subunits. NCT U, a primeira delas, debutou com The 7th Sense (“O Sétimo Sentido”, em português), um single de atmosfera misteriosa e que repete inúmeras vezes a frase “Abra seus olhos”. Como analisei nesse post, o Sétimo Sentido seria a conexão que nós, humanos, temos com o Universo – mais ou menos como a intuição, só que amplificada para além de nós mesmos.

Para acessar esse sentido que abre portas para uma nova vida, é preciso abrir os olhos, como já alerta a música, e se libertar. Na letra, vemos menções a culpa e arrependimento, como “Ontem é hoje, hoje é ontem/Estou apenas cheio de remorso por mim mesmo”, e no MV os membros do grupo se encontram todos presos em diferentes caixas. “The 7th Sense” fala sobre se libertar desses sentimentos e das prisões que impomos a nós mesmos, pois sabemos que há muito mais no mundo do que o que podemos ver. Como o anjo tocando a corneta no Julgamento, The 7th sense é a música que nos estimula a abrir nossos olhos, nos perdoar, e iniciar uma nova fase.

 

XXI – O Mundo | Luna – Free Somebody

Finalizando os Arcanos Maiores do Tarot, temos O Mundo. Bastante direta em seu significado, essa carta representa realizações e completude, o momento de celebrar um objetivo alcançado, e de abrir ainda mais nossos horizontes para traçar novos caminhos.

Luna, membro do girl group f(x) (analisado na Roda da Fortuna), teve seu debut solo com “Free Somebody”. Esse single, como muitos outros no post, contém uma das mensagens da carta já no título: libertar alguém. O Mundo fala também sobre esse momento em que você está tão realizado consigo mesmo que a energia transborda, e tudo que você quer é ajudar outros a se sentirem assim como você.

Durante todo o MV, vemos representações do planeta Terra (nosso mundo, literalmente): na bala que o homem engole, nas ilustrações, na disco ball e até no próprio elevador onde o casal se encontra. Estar com outra pessoa, afinal, é estar também em um mundo próprio, criado pelos dois. O movimento de libertação desses mundos é visto também na letra, com frases como “Eu espero que você encontre a si mesmo” e “Vamos enlouquecer pelo mundo só essa vez”.

Luna, vivenciando a energia do Mundo, se sente tão realizada que quer transpassar esse sentimento para os outros, libertando-os de suas amarras. Como na melodia alegre dessa música, celebrar uma vida em sintonia com nosso mais profundo eu nos ajuda a fazer mudanças relevantes não só para nós, como também para o mundo ao nosso redor.

Nossa jornada pelos Arcanos Maiores termina por aqui, mas o Tarot, como instrumento múltiplo que é, oferece ainda mil outras camadas e interpretações, sempre à sua disposição para explorar, conhecer, e se conhecer. Se você lembrou de algum outro MV que poderia facilmente representar alguma das cartas, me conta :).

Espero que tenha se divertido, e muito obrigada!

Playlist com todas as músicas

Créditos:

Imagens das cartas scanneadas por Holly Voley para domínio público.

Anúncios

7 respostas em “[REPOST] Conhecendo os Arcanos Maiores do Tarot… com Kpop

    • Ai ❤ fico sem palavras, obrigada, sério ❤
      E acredita que só vi seu comentário no Headcanons agora? Eu não recebo notificação de lá, é uma droga hahaha mas então, em português não conheço nada mesmo… Em inglês eu aprendi um monte de coisa pelo http://www.biddytarot.com e com um PDF do 78 Degrees of Wisdom da Rachel Pollack, se quiser te passo! E compra simmm, é bem interessante 🙂

      Curtido por 1 pessoa

  1. Caramba, que post bem feito! Estou realmente apaixonado pelas suas postagens, essa em específico foi MUITO interessante e explicativa, de um conteúdo realmente bem preparado e executado. Tá de parabéns e keep going!

    Curtido por 1 pessoa

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s